Diante do que considera a maior e pior crise já enfrentada pela rede pública de saúde em Goiás, o Cremego recorreu ao Ministério Público Federal em busca providência para os problemas que vêm se agravando a cada dia e afetando o trabalho dos médicos e a assistência à população. O presidente do Cremego, Salomão Rodrigues Filho, denunciou ao procurador da República, Ailton Benedito, que os hospitais públicos estaduais enfrentam problemas graves e incompatíveis com as normas de saúde pública editadas pelo Ministério da Saúde.

Entre as falhas denunciadas e comprovadas por cópias de relatórios das vistorias feitas pelo Cremego no Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo), Hospital de Doenças Tropicais (HDT), Hospital Geral de Goiânia (HGG) e Hospital Materno Infantil (HMI) estão desde a falta de materiais básicos, deficiências estruturais e de higiene ao déficit de profissionais de saúde. As deficiências também são confirmadas por denúncias protocoladas no Conselho pelo Sindicato dos Médicos no Estado de Goiás (Simego) e por médicos dessas unidades de saúde.

No ofício entregue ao Ministério Público Federal, o Cremego cita a intenção do governo estadual, já veiculada pela imprensa, de terceirizar a gestão dos hospitais públicos para Organizações Sociais (OS) e a divulgação de que pacientes da capital estariam sendo transportados por meio de helicóptero do Corpo de Bombeiros para o Hospital de Urgências de Santa Helena de Goiás por falta de condições de atendimento nos hospitais de Goiânia.

“Considerando que os referidos hospitais administram recursos do Sistema Único de Saúde (SUS) e considerando a necessidade de proteção da classe médica e de toda a população que busca assistência nas unidades de saúde, solicitamos a intervenção do Ministério Público Federal para que sejam adotadas as medidas cabíveis para salvaguardar os pacientes que dependem do atendimento no Hugo, HDT, HGG, HMI e demais unidades públicas de saúde”, explicou o presidente do Cremego, que também já cobrou providência das Secretarias Estadual e Municipal de Saúde.

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.