O Conselho Regional de Medicina do Estado de Goiás (Cremego) apoia a paralisação dos médicos do Programa de Saúde da Família (PSF) de Aparecida de Goiânia, deflagrada no dia 16 de fevereiro, e a mobilização da categoria por melhores condições de trabalho e de remuneração e pela melhoria do atendimento à população.

O Cremego aguarda as explicações solicitadas ao secretário Municipal de Saúde de Aparecida de Goiânia, Rafael Nakamura, sobre a demissão de cinco médicos. A recontratação imediata desses profissionais é uma das reivindicações dos médicos grevistas, que atribuem as exonerações a uma retaliação por parte da Secretaria Municipal de Saúde.

Aparecida de Goiânia conta com 35 equipes do PSF, que atuam em várias regiões da cidade.

 

Confira a Moção de Apoio do Cremego: 

 

MOÇÃO DE APOIO

GREVE DOS MÉDICOS DE APARECIDA DE GOIÂNIA

 

 

O Conselho Regional de Medicina do Estado de Goiás (Cremego) manifesta publicamente seu apoio à greve deflagrada no dia 16 de fevereiro de 2011 pelos médicos do Programa de Saúde da Família de Aparecida de Goiânia.

 

A paralisação é justa e legítima e cumpre uma decisão da Assembleia Geral da categoria, legalmente convocada pelo Sindicato dos Médicos do Estado de Goiás e realizada no dia 9 de fevereiro de 2011.

 

Considerando a legitimidade das reivindicações e a importância da mobilização dos médicos de Aparecida de Goiânia em defesa de condições dignas de trabalho e de remuneração da categoria e da melhoria dos serviços prestados à população, o Cremego apoia o pleito dos grevistas, que reivindicam:

 

  1. A recontratação imediata dos cinco médicos que teriam sido demitidos pela Secretaria Municipal de Saúde sem justa causa e em retaliação após denunciarem atrasos nos pagamentos dos salários

 

     2 . Melhoria das condições de trabalho no Programa de Saúde da Família e em todas as unidades da rede pública municipal de saúde de Aparecida de Goiânia

 

     3. Redução do número de atendimento diários no Programa de Saúde da Família de 20 para, no máximo, 16 pacientes em cada turno de 4 horas, sem intercorrências a serem atendidas nesse período

 

     4. Quitação até o dia 20 de fevereiro de 2011 dos salários em atraso

 

     5. Redução até maio de 2011 do prazo de pagamento dos salários dos atuais 40 dias para 10 dias após o último dia trabalhado no mês

 

    6. Implantação do Plano de Carreira, Cargos e Vencimentos dos médicos do município

 

O Cremego entende que o atendimento a essas reivindicações é fundamental para o bom e ético exercício da profissão pelos médicos que atuam na rede pública municipal de saúde de Aparecida de Goiânia e  para a melhoria da assistência prestada à população.

 

Goiânia, 17 de fevereiro de 2011

 

Dr. Salomão Rodrigues Filho

Presidente – Cremego

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.