O Conselho Regional de Medicina do Estado de Goiás (Cremego) divulgou uma nota oficial orientando os prestadores de serviços de saúde que, diante dos atrasos no pagamento dos serviços prestados ao Ipasgo, a paralisação do atendimento aos usuários do Instituto não constitui infração ética, desde que sejam garantidos os atendimentos às urgências e emergências. Confira a nota publicada no dia 20 de março no jornal O Popular:

 

NOTA OFICIAL

AOS MÉDICOS, HOSPITAIS E DEMAIS ESTABELECIMENTOS ASSISTENCIAIS DE SAÚDE CREDENCIADOS NO IPASGO

 

O Conselho Regional de Medicina do Estado de Goiás, no uso das atribuições que lhe são conferidas pela Lei nº 3.268/1957,

CONSIDERANDO o grande número de solicitações ao CREMEGO feitas por médicos, estabelecimentos assistenciais de saúde e entidades representativas do setor, presencialmente, por telefone e por meio eletrônico;

CONSIDERANDO que o IPASGO ainda não pagou aos médicos, hospitais e demais estabelecimentos assistenciais de saúde os valores referentes aos serviços prestados desde novembro de 2010, e

CONSIDERANDO a decisão tomada pela plenária;

DECIDE:

Informar aos médicos, hospitais e demais estabelecimentos assistências de saúde credenciados no IPASGO que a paralisação do atendimento aos segurados, por decisão individual ou coletiva, não se caracterizará infração ética, desde que mantidos os atendimentos às urgências e emergências.

 

Goiânia, 20 de março de 2011.

 

DR. SALOMÃO RODRIGUES FILHO

PRESIDENTE

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.